9 pessoas são presas por fraude ao INSS em Camaçari.



 Nove pessoas já foram presas, nesta quinta-feira (18), no âmbito da Operação Lama Preta, acusadas de envolvimento em um esquema de fraudes de benefícios do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) em Camaçari, Região Metropolitana. A Polícia Federal expediu 12 mandados de prisão preventiva, além de outros 11 de busca e apreensão em Salvador, Lauro de Freitas, Camaçari e Dias D’Ávila. De acordo com as investigações, que acontecem há cerca de 3 anos, a quadrilha atuava na falsificação de documentos de identificação para efetuar o saque do Benefício de Prestação Continuada (BPC), destinado a idosos e pessoas portadoras de deficiência. O Coordenador Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista do INSS, Marcelo Henrique Ávila, explicou que foram apreendidas cerca de 100 identidades falsas, de pessoas de sequer existem, mas que conseguiram a liberação de valores pelo INSS. “Até agora, as investigações não apontam para a ligação de funcionários do órgão com as fraudes”, adiantou. Ainda segundo ele, dos cerca de 100 benefícios, 28 ainda permanecem ativos e vão passar por revisão no órgão federal. “Com a suspensão dos benefícios fraudulentos já foram contabilizados prejuízos de, pelo menos, R$ 4 milhões”. Além disso, Marcelo ressaltou que a suspensão dos benefícios pode gerar a economia de R$ 5 milhões. O delegado da Polícia Federal, Marcelo Andrade Siqueira, que está à frente da Operação Lama Preta, em Camaçari, contou que a quadrilha foi descoberta, porque alguns benefícios tinham o mesmo endereço de residência. “Esse grupo já tem passagens pela polícia por diversos outros casos de estelionato, inclusive lesão a instituições financeiras e lojas”, disse. Marcelo Siqueira também esclareceu que, para as ações terem verossimilhança, pessoas idosas integravam a fraude como dublês dos beneficiados. “Nesta fase, f3 idosos foram presos, sendo que um deles já foi detido em outra operação da Polícia Federal, em Monte Gordo, também por fraude ao INSS”. Ainda de acordo com o delegado, todos os mandados foram autorizados pela Segunda Vara da Justiça Federal de Salvador, assinados pelo juiz Fábio Roque. Marcelo Siqueira também ressaltou que vai ser tentada uma negociação para que as três pessoas foragidas se apresentem à polícia. Já os 9 presos serão encaminhados ao Presídio de Salvador. As investigações tiveram início a partir de constatação feita pela inteligência previdenciária de fruade em diversos benefícios assistenciais requeridos em agências baianas do INSS, para os quais era utilizado sempre um mesmo endereço, situado no bairro da Lama Preta, município de Camaçari. A operação é uma ação conjunta da Polícia Federal com a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia Os envolvidos podem responder por integrar organização criminosa, estelionato previdenciário, uso de documento falso, falsidade ideológica e falsificação de documento público, com penas que, se somadas, podem chegar a mais de 30 anos de prisão.Fonte:BNews.

Postar um comentário

0 Comentários