Idosa é despejada por ordem judicial de uma casa financiada pela Caixa Econômica Federal







A dona de casa Eulenir Pereira dos Santos de 63 anos que morava na Rua Lourival Palmeira no conjunto Francisco Pinto, em Feira de Santana está vivendo um drama. Por determinação da justiça a casa que ela morava foi desocupada. Oficiais de justiça acompanhados de policiais militares cumpriram o mandado de despejo determinado pelo juiz Glautemberg Bastos de Luna, da 2ª Vara Cível e Comercial de Feira Santana, nesta segunda (30). Eulenir Pereira morava no local há 32 anos. Segundo ela, em 2015 esteve na Caixa Econômica para saber como estava a situação casa e quando chegou lá teve a informação de que a casa já estava quitada. Ela conta que o atendente pediu que ela desse entrada na baixa de hipoteca, mas que quando fez o procedimento e com 10 dias retornou a Caixa teve a informação de que a casa foi vendida. “Hoje fui pra igreja e quando voltei minha casa estava arrombada. Em 2016 fui a uma audiência, mas nem cheguei a falar. Meu advogado não foi a nenhuma audiência e deixou a revelia. O novo dono da casa já apareceu aqui a noite para me intimidar e eu liguei para a delegacia. Não tenho para onde ir. Meu advogado não aparece e nem atende o telefone. Tenho um filho que mora em um apartamento e não tenho como levar meus móveis para casa dele. Estou no meio da rua e não tive tempo nem de arrumar minhas coisas. Quem arrumou foram os vizinhos”, afirmou. O despejo de dona Eulenir Pereira comoveu os moradores do conjunto Francisco Pinto. Ela é muito querida por participar de trabalhos sociais. A dona de casa Ildete dos Santos, que é vizinha de dona Eulenir, se mostrava comovida com a situação. “Muita gente sofrendo, pois ela é uma boa vizinha e não merecia passar por esse tipo de humilhação. Queria que pelo menos eles tivessem consideração pela idade. É muito triste. Ela é uma pessoa de bem e é muito difícil aceitar isso. Ela ajuda qualquer pessoa que tiver precisando, faz trabalhos comunitários e é bem conhecida aqui”, afirmou. Amigos da senhora Eulenir Pereira, guardaram objetos pessoais dela e móveis em várias residências vizinhas. O Acorda Cidade entrou em contato com a Caixa e aguarda retorno.Fonte:Acorda cidade.Foto: Ney Silva / Acorda Cidade.

Postar um comentário

0 Comentários