Jovem é achada morta após marcar encontro com “fake” em rede social

Maria Carla Lucas da Silva, 18 anos, estava desaparecida desde que marcou encontro pelo Facebook — Foto: Polícia Civil



Uma jovem de 18 anos foi assassinada após marcar um encontro pelas redes sociais na cidade de Olho D'Água Grande, Agreste de Alagoas. Ela estava desaparecida desde o dia 29 de setembro e foi encontrada morta na quinta-feira (3). De acordo com o delegado Everton Gonçalves, titular da Delegacia de Arapiraca, o suspeito do crime é um vizinho de Maria Carla Lucas da Silva, 18, que foi encontrada nua em uma cova rasa. "Nós analisamos e descobrimos que o vizinho da jovem, José Welligton, criou um perfil falso com o nome de Yuri e começou a mandar mensagens para ela e marcaram o encontro. Depois disso a jovem sumiu", afirma o delegado. Ainda segundo o delegado, José Welligton também foi encontrado morto. Ele cometeu suicídio um dia após a jovem desaparecer. Causa da morte O Instituto Médico Legal (IML) divulgou na tarde desta sexta-feira que Maria Carla foi morta por asfixia por constrição cervical por estrangulamento ou esganadura. Porém, o laudo não consegui apontar se ela foi vítima de violência sexual. O legista Germano Jatobá explicou que asfixia por constrição cervical ocorre através da compressão da região do pescoço, o que provoca interrupção do fluxo de oxigênio, levando a vítima inicialmente à inconsciência e consequentemente à morte. Essa ação violenta deixa sinais no corpo da vítima que diferem de outros casos de morte violenta. “O exame apontou infiltração hemorrágica na musculatura pretraqueal e na mucosa laríngea com fratura da cartilagem tireóidea, sinais característicos de morte por constrição cervical por estrangulamento ou esganadura. No exame não constatei sinais de enforcamento e também não havia nenhum outro tipo de lesão de interesse médico legal no restante do corpo da vítima”, explicou o médico legista.Fonte:G1.

Postar um comentário

0 Comentários